Convivência

Como uma das últimas a escrever sobre o tema, ouvi sobre muitas faces da palavra convivência, e dentro de cada uma, acredito que todas fomos levadas a considerações inerentes às nossas próprias experiências, conhecimentos e principalmente aos nossos desafios diários relativos a essa questão.

Falamos sobre a convivência com ideias, circunstâncias e principalmente com pessoas e todas as dificuldades naturais de convivermos com tudo e todos que nossa condição evolutiva necessita e é capaz de suportar.

Acredito que para todas, a maior dificuldade está na convivência com pessoas e suas ideias, comportamentos, valores e gostos, principalmente quando nos contrariam de alguma forma. Muitas pessoas tornam nossas vidas verdadeiros calvários de dores e provações, colocando a prova diariamente todas as virtudes que estamos lutando e muitas vezes sangrando para que floresçam dentro de nós

Obviamente para escrever sobre o tema, pensei na minha vida e nas dificuldades que consigo detectar em mim relacionadas com o convívio, mas a única ideia que brotou no meu coração para compartilhar é sobre a relação direta que percebo entre convivência e amor. O exercício da convivência é o exercício do amor, e esse exercício normalmente nos é imposto para que possamos aperfeiçoá-lo e purificá-lo a cada dia, ou seja, a cada dia nos aproximarmos mais do Pai, porque Ele é o Amor Puro e Perfeito.

Ainda não consigo exercitar o amor consciente que deveria, como Santa Terezinha do Menino Jesus, que se privava da companhia dos seus afetos mais caros espontaneamente para exercitar e se dar a oportunidade de conhecer e aprender a amar até seus algozes

Quando penso nas pessoas com quem convivo eventual ou diariamente em diferentes graus de intimidade, afinidade ou mesmo parentesco, principalmente meu marido e filhos, por quem nutro amor infinito e incondicional, procuro ainda que muitas vezes na esfera das boas intenções o desejo humilde de servir com amor a cada um. Acredito que servir com amor é o que posso oferecer de melhor para honrar a Jesus e ao Pai.

Jesus disse “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14:6) Reflitamos sobre o fato de que Jesus distribuiu seu amor infinito entre nós servindo de todas as maneiras possíveis.

“Porque o Filho do homem também não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate de muitos.” (Marcos 10:45) Servir ao próximo foi a proposta de vida de Jesus, e servir é cuidar para que todas as pessoas tenham supridas suas necessidades materiais e espirituais. Servindo estaremos glorificando a Deus, a Jesus Cristo e honrando tudo aquilo que recebemos por misericórdia e nos dignificando para podermos nos considerar de fato cristãos filhos de Deus.

Conviver é Amar e Servir.

LRBN

Deixe uma resposta

Busca Rápida