Reflitamos

“O bem que eu quero não faço, o mal que não desejo, esse eu faço.”

Paulo de Tarso

15. Não entendo, absolutamente, o que faço, pois não faço o que quero; faço o que aborreço.16. E, se faço o que não quero, reconheço que a lei é boa.17. Mas, então, não sou eu que o faço, mas o pecado que em mim habita.18. Eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita o bem, porque o querer o bem está em mim, mas não sou capaz de efetuá-lo.19. Não faço o bem que quereria, mas o mal que não quero.20. Ora, se faço o que não quero, já não sou eu que faço, mas sim o pecado que em mim habita.21. Encontro, pois, em mim esta lei: quando quero fazer o bem, o que se me depara é o mal.22. Deleito-me na lei de Deus, no íntimo do meu ser.23. Sinto, porém, nos meus membros outra lei, que luta contra a lei do meu espírito e me prende à lei do pecado, que está nos meus membros.

Romanos 7:15-23

Deixe uma resposta

Busca Rápida