“As Três Marias”

MARIA DE NAZARÉ (MÃE DE JESUS) – Uma mãe honrada

Nenhum outro ser foi mais ÍNTIMO de Jesus na terra do que sua mãe, Maria. Todos os Evangelhos e o Livro de Atos falam sobre ela como uma mulher PREPARADA de modo especial para participar da vida de seu Filho na terra. Como mãe, ela é igual a qualquer uma de nós, mas foi mais ABENÇOADA do que qualquer outra mulher por ser a mãe de nosso Senhor.

Mateus apresenta Maria de Nazaré como a esposa prometida de José, um homem “justo” (Mt 1:19). Quando o anjo Gabriel apareceu anunciando o futuro nascimento de Jesus (Lc 1:26-28), a resposta de Maria revelou sua PERFEITA COMPREENSÃO das Escrituras e sua disposição de OBEDECER a Deus.

A idéia assustadora de entregar seu corpo virgem como instrumento para a operação do Espírito Santo podia muito bem ser mal compreendida, mas a CONFIANÇA IRRESTRITA de Maria agradou o coração de Deus (Lc 1.38). Embora a notícia fosse arrasadora, ela se submeteu com ALEGRIA à tarefa que lhe foi atribuída. Seu cântico de louvor (Lc 1:46-55) descreve um coração perspicaz, transbordante de EXALTAÇÃO ao seu Senhor.

Contudo, o discernimento espiritual de Maria estava sempre entrelaçado com seus sobressaltos, como quando, aos 12 anos, Jesus se desgarrou da família, ao voltarem de Jerusalém (Lc 2:41-50), ou quando acabou o vinho no banquete de casamento (Jo 2:1-12), ou quando algo lhe dizia respeito durante o ministério dele (Mc 6:2-3; Lc 8:19), ou quando teve de assistir ao horror da crucificação. Mas Jesus sempre respondeu amorosamente às inquietações de sua mãe e, antes de morrer, teve um último gesto de ternura, ao deixá-las aos cuidados de João (Jo 19:25-27)

Maria e José tiveram outros filhos. Ela, provavelmente, tenha ficado viúva logo cedo, mas isso não impediu que resplandecesse como ESPOSA FIEL E MÃE DEDICADA. As aparições públicas de Maria aos pés da cruz (Jo 19:25) e orando após a ascensão do Senhor (At 1:12-14) mostraram ao mundo a sua CORAGEM, e fizeram com que fosse marcada como “um dos SEGUIDORES dele”, o que a tornava alvo da perseguição, juntamente com os discípulos.

A desconhecida donzela da desprezada cidade de Nazaré da Galiléia ilustra para sempre a natureza básica da feminilidade: transmitir à geração seguinte a mensagem da FIDELIDADE DE DEUS, seja na criação de seus próprios filhos ou desempenhando a tarefa de prover alimento espiritual além do círculo familiar. Maria não foi apenas a mulher que Deus escolheu, por sua soberana vontade, para dar a luz o Cristo Menino, mas foi também uma HUMILDE E DEVOTADA SEGUIDORA DO MESSIAS.


MARIA DE BETÂNIA – Uma seguidora fiel

Maria, de Betânia, é um MODELO para todos os discípulos dedicados a Cristo. Aparentemente, ela era solteira e vivia com sua irmã, Marta, e seu irmão, Lázaro. A casa deles era um lugar onde Jesus descansava entre amigos, os quais, talvez, fossem da mesma faixa etária que ele.

Maria, mais do que qualquer outra personagem do Novo Testamento, é associada com o SENTAR-SE AOS PÉS DE JESUS, um testemunho de sua fome de OUVIR e COMPREENDER as verdades espirituais (Lc 10:39, Jo 11:32, Jo 12:3). Ela, porém, não se limitou a apenas ouvir os ensinamentos de Jesus, mas também o SERVIU, ungindo-o com óleo precioso para demonstrar que seu desejo não era apenas obter, mas também atender necessidades práticas. Três evangelhos relatam seu significativo gesto sacrificial: 300 gramas de puro ungüento de nardo indiano, valendo o salário de um ano de trabalho, generosamente DERRAMADOS EM HUMILDADE SOBRE SEU SALVADOR (Mt 26:6-13, Mc 14:1-9, Jo 11:1-6).

Maria era uma mulher caracterizada pela LUCIDEZ ESPIRITUAL e pela disposição de agir de acordo com sua FÉ, o que lhe valeu o ELOGIO DE CRISTO (Mt 26:13 – “Em verdade vos digo: Onde for pregado em todo o mundo este evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua”).


MARIA MADALENA – Uma mulher devotada

Maria vivia em Magdala, importante centro agrícola, pesqueiro e comercial. Sofrendo de possessão demoníaca, Maria encontrou Jesus FACE A FACE, e isso MUDOU A VIDA DELA. Jesus expeliu os 7 espíritos demoníacos que controlavam e perturbavam a vida de Maria Madalena (Mc 16:9)

Após a cura, Maria se tornou uma devotada SEGUIDORA DE CRISTO. Maria tornou-se importante LÍDER entre as mulheres que ministravam. As Escrituras mencionam o seu nome 14 vezes. Ela se mostrou uma seguidora fervorosa que dedicou seu tempo, energia e recursos financeiros à obra do Senhor, seguindo-o, fielmente, durante todo o seu ministério. Até mesmo quando quase todos fugiram de medo após a prisão de Jesus, Maria PERMANECEU AO LADO DELE ATÉ O MOMENTO DA CRUZ e assistiu à sua morte dolorosa. Maria permaneceu fiel a Jesus muito depois dos outros já terem perdido a esperança. De madrugada, depois de terminado o sábado dos judeus, ela saiu furtivamente, encoberta pela escuridão, antes do nascer do sol, e foi até o sepulcro. Em seus braços, carregava as especiarias para PREPARAR O CORPO DO SENHOR PARA O SEPULTAMENTO.

A FIDELIDADE de Maria foi plenamente recompensada pelo Senhor, pois ao chegar ao sepulcro, a pesada pedra que selava a entrada quadrada de um metro de lado havia sido removida. Maria descobriu, horrorizada, que o túmulo estava vazio, mas sua dor transformou-se em alegria quando ela se viu novamente face a face com Jesus: o SENHOR RESSURRETO. Em sua inimaginável graça, DEUS ESCOLHEU UMA MULHER FIEL, MARIA DE MAGDALA, PARA PROCLAMAR AOS DISCÍPULOS E AO MUNDO AS GLORIOSAS NOTÍCIAS TRANSFORMADORAS DE QUE JESUS CRISTO HAVIA RESSUSCITADO. Imagine só como ela não deve ter ficado agitada! “Vi o Senhor!”, gritou ela, com um entusiasmo sem igual, ao pequeno grupo de discípulos desorientados e incrédulos (Mc 16:11).

A fidelidade que Maria Madalena devotava ao Senhor e seu anúncio da vitória de Cristo sobre a morte mostram a todas as mulheres como UM ENCONTRO COM CRISTO PODE MUDAR UMA VIDA PARA SEMPRE.

Fonte: A Bíblia da Mulher – Editora Mundo Cristão

Deixe uma resposta

Busca Rápida